Boletim Letras 360º #131

É sempre com satisfação que regressamos a cada sábado, um pouco cada vez mais velhos, mas satisfeitos com o trabalho que vimos desempenhando na divulgação sobre a literatura, o universo do livro e adjacências. Isso em todos os canais que podemos firmar para estar próximos dos leitores; no Facebook, onde o público é maior, a presença tem sido mais intensa também. E essa presença que faz com que retornemos sábado a sábado para organizar essas informações passadas aos nossos leitores.

Gabriel García Márquez sempre foi amigo muito próximo de Fidel Castro. A relação entre os dois pode ter sido o motivo para a espionagem dos Estados Unidos sobre o autor de Cem anos de solidão. Saiba mais ao longo deste boletim.


Segunda-feira, 07/09

>>> Brasil: Nos 70 anos de Chico Buarque falamos sobre a edição de um filme sobre a vida e a obra do compositor e romancista brasileiro. Pois bem, a boa nova é que está quase pronto e chega aos cinemas até o final do ano

Chico: artista brasileiro é o título do longa dirigido por Miguel Faria Júnior e versa sobre a trajetória de um dos maiores nomes da música brasileira. O título da peça é inspirado no último verso da canção "Paratodos". Faria Jr. tem no currículo pérolas como o documentário 'Vinicius' sobre o poeta Vinicius de Moraes, de 2005.

>>> Estados Unidos: O FBI seguiu Gabriel García Márquez durante mais de duas décadas

A revelação foi feita pelo jornal estadunidense The Washington Post e o monitoramento da vida do escritor começou desde quando foi trabalhar em Nova York em 1961 e mudou-se para os Estados Unidos com a companheira. A vigilância se manteria durante 24 anos. O jornal teve contato com 137 páginas do dossiê só agora revelado, enquanto outra igual quantidade ainda permanece sob sigilo. Possivelmente nos arquivos não revelados esteja a resposta sobre por que esse interesse em seguir secretamente os passos do autor de 'Cem anos de solidão'. Apesar de revelar determinadas ordens, os papéis agora apresentados não esclarecem os motivos dessa obsessão do FBI, mas foi nessa época que García Márquez se tornou amigo próximo do líder cubano Fidel Castro.

>>> Brasil: Sombras de reis barbudos é mais um título na reedição da obra de José J. Veiga

Publicado pela primeira vez em 1972, o romance é lido pela crítica como uma alegoria sobre a Ditadura Militar no Brasil, ao contar a história de uma cidade que recebe a Companhia Melhoramentos de Taitara, símbolo da modernidade. Aos poucos, porém, a empresa impõe uma rotina tirânica aos moradores. Editado pela Companhia das Letras, este é o terceiro título, depois de Os cavalinhos de Platiplanto e A hora dos ruminantes, duas obras já resenhadas pelo blog Letras in.verso e re.verso, aqui e aqui, respectivamente.

Terça-feira, 08/09

>>>  Brasil: Novas traduções da obra de James Joyce

Depois da nova tradução de Ulysses publicada pela Penguin /Companhia das Letras, as livrarias brasileiras receberão uma leva de novas traduções de James Joyce. Todas pela Lumme Editor. Agora em outubro já sai um volume reunindo os infantis O gato e o Diabo e Os gatos de Copenhague. Do início de 2016 em diante publica-se Rejoyce, que apresentará diversas versões para fragmentos de Finnegans wake, Stephen herói, Dublinenses. Nesse grupo, há ainda o interesse de uma nova versão para Finnegans, com o título Vigília/Incelença/Elegia para Finnegan. As traduções estão nas mãos Eclair Antonio Almeida Filho, Josina Nunes Roncisvalle e Leonardo Souza.

>>> Brasil: Poema de Ovídio ganha tradução

É o segundo volume de uma coleção preparada pela Autêntica Editora com clássicos da literatura; já uma vez dissemos aqui sobre a edição de Prometeu desacorrentado e outros poemas, de Percy Shilley e agora noticiamos a edição de Fastos, de Ovídio. Em edição bilíngue com tradução de Márcio Meirelles Gouvêa Júnior a obra foi concebida pelo poeta inspirada no calendário romano instituído pelo imperador Augusto. O resultado é um poema que se aproxima de temas que vão do grandioso ao ínfimo extraído de um território aparentemente árido para a poesia.

>>> Brasil: Livro inédito de Nikos Kazantzákis chega às livrarias 

O Capitão Mihális (liberdade ou morte) foi publicado originalmente em 1953, e se passa na cidade de Megalo Kastro, em Creta; tem como pano de fundo uma revolta dos cretenses que durou oito meses e foi sufocada pelo então dominador turco. A primeira edição brasileira, traduzido diretamente do grego por Silvia Ricardino, é uma ação da Grua Livros que reeditou outros dois títulos do escritor grego, A última tentação [resenhado no Letras in.verso e re.verso aqui] e Vida e proezas de Aléxis Zorbás. De forte tom histórico, O Capitão... recobra vários episódios da história grega através de fatos e indivíduos conhecidos do autor que, para descrevê-los, ressuscitou dentro de si a aldeia de sua infância.

Quarta-feira, 09/09

>>> Estados Unidos: Encontrada partitura da melodia de "Parabéns a você"

Em português, espanhol, francês, italiano... a canção cantada por todos para desejar feliz aniversário tem uma melodia quase universal, mas, até hoje, ninguém tinha pistas sobre o paradeiro de um registro que averbasse seu nascimento. Há alguns dias, o bibliotecário da Universidade de Lousville, James Procell, descobriu nos arquivos dessa biblioteca as pautas originais que deram forma à canção popular que data de 1893. Procell trabalhava num arquivo de documentos musicais da década de 1950 quando encontrou uma pasta com três dezenas de composições de mais um século de existência. A canção, que no original tem o título de 'Happy birthday to you' foi escrita a mão por Mildred Hill, quem a compôs em parceria com sua irmã em 1893 a partir da melodia de 'Good morning to all' ['Bom dia a todos'], uma cantiga usada para ensinar saudação às crianças. A descoberta poderá ter um impacto nos benefícios pelos direitos do autor, atualmente em mãos da Warner Music, quem, graças à canção, arrecada ao ano 2 milhões de dólares. No Brasil, 'Parabéns a você' chegou cantada ainda em inglês; Almirante, da Rádio Tupi do Rio de Janeiro, organizou em 1942 um concurso para escolher uma letra que casasse com a melodia da cantiga estadunidense. Das 5 mil participantes, a vencedora escolhida pelo júri composto por imortais da Academia Brasileira de Letras foi a da paulista Bertha Celeste Homem de Mello.

>>> Brasil: Nova tradução de O duelo, de Anton Tchekhov

Na semana anterior, o Letras publicou uma matéria sobre o chamado Século de Ouro da Literatura Russa. Na ocasião ressaltamos a forte presença dessa literatura nas últimas décadas no Brasil. Pois bem, tem só um ano que a Editora 34, uma das principais responsáveis pelo boom russo por aqui, trouxe-nos uma tradução (feita por Marina Tenório) para O duelo. Agora, o texto de Tchekhov ganha uma edição, pode-se dizer, de luxo da Amarilys Editora. A nova edição em capa dura, com tradução inédita e direta do russo, de Klara Gourianóva, prefácio assinado por Elena Vássina, pesquisadora de literatura russa e professora da Universidade de São Paulo, e ilustrações do artista gráfico Hélio de Almeida faz parte de uma coleção que já publicou A morte de Ivan Ilitch e outras histórias (tradução revista de Tatiana Belinky), de Liev Tolstói.

>>> Portugal: Novo livro de Valter Hugo Mãe chega às livrarias até o fim de novembro

"Já repararam que escrevo contos eróticos na nova Playboy portuguesa?" - escreveu há três anos VHM em sua página no Facebook. Além desses texto, o leitor sabe que o escritor português tem se dedicado à narrativa curta desde sempre com a participação em antologias diversas. Recentemente, a Cosac Naify, responsável por sua obra no Brasil, publicou O paraíso são os outros (resenhando pelo Letras aqui). Mas, só agora, finalmente, o leitor terá uma antologia com textos dessa natureza. Ainda com o título provisório de Contos o livro sairá pela Porto Editora, nova casa editorial do autor em Portugal, e terá nove contos inéditos com ilustrações de artistas como Paula Rego, Graça Morais, Joana Vasconcelos, José Reis e Ana Aragão. O livro terá prefácio de Mia Couto. A presença mais recente de publicações no Brasil foi alguns poemas editados no Caderno-revista 7faces. Por enquanto, sabe-se que Mãe trabalha já no seu próximo romance.

Quinta-feira, 10/09

>>> Inglaterra:  Os 125 anos de Agatha Christie celebrados com a pompa que merece

Em Torquay, terra natal da Rainha do Crime começa um evento que é o ponto alto das celebrações pelos seus 125 anos: o 'Festival Internacional Agatha Christie'. Será necessário todo o mês de setembro com leituras dramatizadas, festival de cinema, festival gastronômico, debates com herdeiros de Agatha, itinerários turísticos pela terra da escritora e encontros com leitores e estudiosos de sua obra para alcançar uma visita à obra de Agatha. Mas, o grande destaque é a exposição 'The Agatha Christie: Unfinished Portrait' ['Agatha Christie: retrato inacabado'] que abre o álbum de fotos pessoais da famosa escritora britânica e revela imagens nunca antes vistas. O responsável pela mostra é o único neto da escritora, Mathew Prichard. No nosso Tumblr publicamos dois conjuntos de fotografias raras da escritora.

>>> Brasil: A poesia de Pier Palo Pasolini

A produção literária do gênero feita por Pasolini é quase desconhecida no Brasil, tanto pela inexistência de traduções, como por ter ficado conhecido aqui, sobretudo como cineasta. Agora não mais. A Cosac Naify traz uma edição inédita, em formato bilíngue, da poesia do italiano. O livro traz introdução, posfácio e notas especiais. Os poemas de Pasolini são construídos por estilo poético “experimentalista” (parte deles em dialeto friulano) que denotam uma sensibilidade extrema, ora confessionais e ora voltados para a temática social.Neles convivem ainda a temática homossexual e a sensualidade e temática política num diálogo estabelecido com o pensamento filosófico e político de Gramsci.

>>> Estados Unidos: Projeto disponibiliza gravações raras com nomes como John Updike, Philip Roth e outros

As gravações foram feitas primeiro em LPs (as mais antigas), depois em fitas K7. E agora foram disponibilizadas em CDs e para download. Calliope Author Readings é um projeto que data da década de 1960 cujo interesse é o do registro fonográfico de grandes nomes da literatura estadunidense na leitura de suas obras. Em 1963 foram lançados sete discos com duração entre 14 e 24 minutos. A tecnologia avança, mas os registros não se perderam; estão mais próximos dos leitores de todo o mundo. São agora nove gravações coletadas em dois CDs. Para todas as informações e aquisição do material vá aqui

Sexta-feira, 11/09

>>> Brasil: "A hora e a vez de Augusto Matraga" ganha nova adaptação para o cinema

A primeira vez que o conto de Sagarana, do escritor Guimarães Rosa ganhou forma pelo cinema foi em 1966 pelas mãos de Roberto Santos. Agora, Vinicius Coimbra reconta a história do cangaceiro 'que se converte em gente comum'. Pelo que reza a sinopse do filme que estreia no próximo dia 24, A hora e a vez de Augusto Matraga segue de perto o enredo original: Augusto Matraga é um fazendeiro orgulhoso, valente e mulherengo, que está à beira da falência. Sua esposa Dionóra resolve abandoná-lo com a filha do casal, ao receber uma proposta feita por Ouvídio Moura. A situação faz com que Augusto fique enfurecido e parta para a casa de Ouvídio, em busca de vingança. Lá ele é espancado pelos capangas de Consilva, que o marcam com ferro e o atiram em um precipício para morrer. À beira da morte, Augusto é encontrado por um casal, que cuida de sua recuperação. Cinco anos depois ele deixa o local, completamente mudado e agora temente a Deus. João Miguel (imagem) é quem vive agora o jagunço Matraga. Aproveitem e revejam nossa lista de filmes de 2015 que são adaptações de obras literárias.

>>> Brasil: Nova tradução do clássico Poética, de Aristóteles

Não podemos reclamar que o texto esteja distante de nosso alcance, mas há muito necessitávamos de um retorno à sua plena forma. Poética é um tratado sobre as formas literárias indispensável a qualquer leitor. Paulo Pinheiro recupera a tradição de vinte e três séculos da obra numa tradução rigorosamente amparada em notas e atenta às pesquisas mais recentes. A edição bilíngue é da Editora 34.

>>> Brasil: Uma tradução para A peregrinação de Child Harold, de Lord Byron

O poema é um dos clássicos da obra do poeta inglês e foi fruto de uma extensa viagem entre 1809 e 1811 por Portugal, Espanha, França e Grécia. A nova edição brasileira é traduzida por Francisco J. P. Guimarães. Precedido de apresentação, o poema é acompanhado por diversas notas e imagens de edições antigas. Este é o primeiro lançamento da jovem Editora Anticítera que aposta na edição luxo, com tiragem limitada e numerada. O trabalho da editora combina o rico trabalho das edições antigas com a tecnologia do livro contemporânea. Na lista dos próximos títulos está uma nova edição para As flores do mal, de Charles Baudelaire, reunindo as traduções de vários poetas – de 1890 a 1910 e das Odes, de Horácio.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma pedra no caminho para a modernidade: o projeto drummondiano de humanizar o Brasil

Os melhores diários de escritores

A partir de quando alguém que escreve se converte num escritor?

Boletim Letras 360º #241

Escritos nas margens

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

O túmulo de Oscar Wilde

Angela Carter, a primazia de subverter

José Saramago e Jorge Amado. A arte da amizade

Ivan Búnin