Boletim Letras 360º #212

Nesta semana o Letras sorteou um exemplar de A montanha mágica, um não, dois. E já enviamos os livros para os ganhadores. Muito em breve divulgaremos outros dois sorteios: um com a edição que reúne toda poesia de Hilda Hilst e outro com a edição que reúne todos os contos de Dostoiévski. No aniversário de 10 anos do blog queremos presentear nossos leitores com o melhor da literatura! E estamos apenas no começo!

João Gilberto Noll. O escritor morreu na quarta-feira, 29.


Segunda-feira, 27/03

>>> Brasil: Edição apresenta ensaios de Octavio Paz traduzidos pela primeira vez por aqui

São textos que atestam a presença de grande precisão conceitual e da mais viva imaginação poética na obra do escritor mexicano. "Poesia de solidão e poesia de comunhão", de 1943, sobre os poetas São João da Cruz e Quevedo, "Estrela de três pontas: o Surrealismo", de 1954, uma visão particular sobre o legado desse movimento artístico e "A busca do presente", de 1990, lido como discurso de agradecimento ao Prêmio Nobel de Literatura estão reunidos em "A busca do presente e outros ensaios". Em todos, Paz evidencia uma obstinada tentativa de resgatar momentos cruciais da história cultural, tendo sempre em vista o esclarecimento do presente. Um dos mais originais intelectuais do século XX, Octavio Paz atesta com essa edição porque é considerado um mestre na arte do ensaio. O livro é o primeiro título da coleção Ensaios Contemporâneos editada pela Bazar do Tempo, que apresenta textos de importantes pensadores sobre diferentes aspectos da atualidade, traduzidos pela primeira vez para o português, e sempre comentados por estudiosos de cada autor e assunto. A tradução dos textos é de Eduardo Jardim.

>>> Brasil: Uma coleção cujo objetivo é resgatar importantes obras críticas sobre a literatura brasileira

Chama-se Claraboia. E é publicada pela Editora Moinhos. A coleção é formada por obras de autores brasileiros que tratam sobre a literatura do país que estão há muito sem novas edições. Para 2017, a editora apresenta já os dois primeiros volumes: o primeiro, previsto para o mês de maio, será o Como e porque sou romancista, de José de Alencar. Os mestres do passado, de Mário de Andrade, segundo da coleção, está previsto para o mês de outubro. Além desses títulos, outros estão em produção, como Ensaio sobre a literatura brasileira, de Gonçalves de Magalhães; Introdução histórica sobre a literatura brasileira, de Joaquim Norberto de Sousa Silva; Carta sobre a literatura brasílica, de Araripe Júnior, que serão publicados a partir de 2018.

Terça-feira, 28/03

>>> Brasil: Um dos clássicos da literatura portuguesa ganha reedição e está disponível aos leitores brasileiros: Coração, cabeça e estômago, de Camilo Castelo Branco

Este livro é um dos momentos mais luminosos da obra do autor: trata-se de uma novela satírica, na qual o que a solda dos vários episódios soltos e razoavelmente simples é o estilo e o jogo entre as instâncias narrativas e autorais. Por conta disso, esta novela talvez seja, dentre todas as de Camilo, a que reúna mais probabilidades de permanecer como referência viva para a prosa contemporânea de língua portuguesa ao longo do século que se inicia. A edição preparada por Paulo Franchetti ganha segunda edição publicada pela Editora Martins Fontes.

>>> Brasil: Odisseia é o segundo título literário resgatado do catálogo da extinta Cosac Naify que sai pela Ubu Editora

O primeiro foi Os sertões, edição crítica, que sairia pela renomada casa editorial. A editora antiga havia preparado duas edições em formatos diferentes: uma de alto padrão e outra mais comercial para a obra de Homero. A edição em questão de um dos textos clássicos mais importantes para a literatura ocidental é a tradução do livre-docente de língua e literatura grega Christian Werner, quem também redigiu uma introdução para o texto. Além disso, o livro reúne texto do homerista estadunidense Richard Martin, posfácio do escritor e professor de filosofia Luiz Alfredo Garcia-Roza, e, em apêndice, um texto de Kafka e um poema de Kaváfis.

Quarta-feira, 29/03

>>> Brasil: Morreu João Gilberto Noll

O escritor gaúcho deixa 18 livros publicados — 13 romances, três compilações de contos e duas obras infanto-juvenis. Entre os títulos que marcam seu nome na história da literatura brasileira estão O cego e a dançarina, Hotel Atlântico, Harmada, A céu aberto, Lorde, Acenos e afagos, Solidão continental. O autor foi cinco vezes premiado com o Jabuti. Em diversas outras ocasiões sua obra foi reconhecida, dentro e fora do Brasil. João Gilberto Noll nasceu em Porto Alegre em 1946; morou no Rio de Janeiro entre 1969 e 1986, onde concluiu a faculdade de Letras e fez inúmeras colaborações em jornais como Folha da Manhã e Última Hora, e deu aulas na PUC.

>>> Brasil: O romance ganhador do Man Booker Prize de 2015 ganha edição no Brasil. Sai em julho, quando o seu autor, Marlon James vem a Flip - Festa Literária Internacional de Paraty

Em 3 de dezembro de 1976, às vésperas das eleições na Jamaica e dois dias antes de Bob Marley realizar o show Smile Jamaica para aliviar as tensões políticas em Kingston, sete homens não identificados invadiram a casa do cantor com metralhadoras em punho. O ataque feriu Marley, a esposa e o empresário, entre várias outras pessoas. Poucas informações oficiais foram divulgadas sobre os atiradores. No entanto, muitos boatos circularam a respeito do destino deles. Breve história de sete assassinatos é uma obra que explora esse período instável na história da Jamaica e vai muito além. Marlon James cria com magistralidade personagens — assassinos, traficantes, jornalistas e até mesmo fantasmas — que andaram pelas ruas de Kingston nos anos 1970, dominaram o submundo das drogas de Nova York na década de 1980 e ressurgiram em uma Jamaica radicalmente transformada nos anos 1990. A edição é da Editora Intrínseca.

Quinta-feira, 30/03

>>> Brasil: Textos poucos conhecidos de Virginia Woolf, Gertrude Stein, Antoni Artaud, entre outros comporão nova coleção editada pela Editora Rocco.

A coleção chama-se Marginália e tem curadoria de Miguel. O livro que abre as publicações é A aventura do estilo que reúne a correspondência trocada entre dois gigantes da literatura inglesa: Robert Louis Stevenson e Henry James. O livro é apresentado por Marina Bedran, mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo, e aproxima escritores de trajetórias e estilos diferentes – enquanto James foi um cronista da alta sociedade vitoriana e um estudioso da escrita e da arte da ficção, Stevenson viveu inúmeras aventuras, foi um autor popular e alcançou o sucesso comercial que James nunca teve o prazer de conhecer em vida. Em junho, sai A vontade de si, de Antonin Artaud, com organização de Ana Kiffer e Mariana Patrício. E, até o final do ano, serão contempladas Virginia Woolf e Gertrude Stein.

>>> Portugal: A antologia organizada por Adriana Calcanhotto com uma seleção de poetas brasileiros contemporâneos ganhará edição em terras lusitanas

Sai pela Editora Cotovia no mês de abril. É agora como nunca. Antologia incompleta da poesia contemporânea brasileira foi publicada aqui pela Companhia das Letras e reúne 42 poetas nascidos no Brasil entre 1973 e 1990. Calcanhotto reside atualmente em Coimbra, onde é professora convidada da Faculdade de Letras entre fevereiro e junho de 2017.

Sexta-feira, 31/03

>>> Brasil: Todo Agualusa numa só casa editorial

O novo romance do angolano José Eduardo Agualusa, A sociedade dos sonhadores involuntários, sairá no Brasil pela Tusquets e inaugura a reedição de toda sua obra numa mesma casa editorial. Para 2018, a editora publicará outro romance inédito do autor e iniciará a reedição com outros dois livros seus. A obra de Agualusa há muito publicada no Brasil tem edições espalhadas por várias editoras.

>>> Brasil: Inédito de Lima Barreto: O pesquisador Felipe Botelho Corrêa, do King's College, encontrou uma versão inédita de "A Nova Califórnia" (1911), um dos contos mais importantes de Lima Barreto.

A descoberta foi feita na biblioteca nacional australiana. Até agora, só se conhecia o manuscrito, guardado na Biblioteca Nacional brasileira, e a primeira versão em livro, no anexo de "Triste Fim de Policarpo Quaresma". A versão, com três parágrafos a mais, foi publicada na Revista Americana, organizada pelo barão do Rio Branco. O conto é famoso por ter inspirado a novela Fera Ferida, de Aguinaldo Silva, nos personagens e na cidade onde se passava, Tubiacanga. Como Lima Barreto escrevia sob encomenda para a imprensa, o achado permite saber o "endereço" do texto. "A revista representava o pan-americanismo [que marcava a política externa do país]. E o Lima mostrava o Brasil como a Califórnia, abordando o arrivismo e a questão do novo rico", diz Corrêa, que lança um livro sobre o autor em julho, pela e-galáxia.

Sábado, 01/04


>>> Estados Unidos: Morreu Ievguêni Ievtuchenko

O poeta e romancista russo nasceu na Sibéria em 1933. Aos onze anos foi com sua família para Moscou, cidade onde fez seus estudos. Nos seus primeiros poemas editados sob os títulos de Exploradores do futuro (1952), A terceira neve (1955) e Estação de Zimá (1956) mostrou influências da poesia de Maiakóvski; depois, o estilo passou a ser dirigido pela retórica e crítica sócio-política. Alcançou fama internacional em 1961 com seu poema "Babi Yar" em que denuncia o extermínio de judeus e o antissemitismo na Rússia. Durante a década de 1970 publicou outros gêneros literários: o romance Os frutos selvagens da Sibéria (1981), escrito sob a influência de Dostoiévski e Boris Pasternak; o roteiro para o cinema "Jardim de infância" (1984); o documentário Não morras antes de morrer (1996). E, 1987 foi distinguido membro honorário da Academia Americana de Artes e Ciências. No Brasil, teve editado o livro de 1981 aqui citado; Pearl Harbor (1968), Ardabiola (1989) e a peça de teatro Autobiografia precoce são outros títulos dos traduzidos para o português. Em 1985, os poetas Augusto e Haroldo de Campos e o tradutor Boris Schnaiderman incluíram Ievtuchenko na antologia 25 autores da poesia russa moderna (1985). Ievtuchenko vivia nos Estados Unidos.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carolina Maria de Jesus, a escritora que catava papel numa favela

José Saramago e As intermitências da morte

José Saramago e Jorge Amado. A arte da amizade

Cecília Meireles: transcendência, musicalidade e transparência

Sor Juana Inés de la Cruz, expoente literário e educativo do Século de Ouro espanhol

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

Visões de Joseph Conrad

Ensaios para a queda, de Fernanda Fatureto

Os diários de Sylvia Plath

Boletim Letras 360º #246