Ler devia ser proibido

O vídeo a seguir foi fruto de um trabalho idealizado em 2003 pelos alunos do 2º ano do curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Salvador (UNIFACS). Os alunos Igor Melo, Deborah Toniolo, Marina Xavier, Julia Brasileiro, Jader Félix, João Paulo Moura, Luciano Midlej, Marcos Diniz, Paulo Diniz, e Filipe Bezerra idealizaram uma propaganda de incentivo a leitura. Mas nada de darmos de cara com um texto convencional exaltando pela milésima vez a importância do ato de ler. O texto vai pela via contrária dos benefícios da leitura no intuito de causar um paradoxo na cabeça do telespectador. No fundo, prevalece, é claro, a ideia de que ler é importante e fundamental, mas o anticonvencionalismo trabalhado pelo texto - usando da máxima de que tudo que é proibido e tem malefícios próprios é melhor - me faz ver a grandeza do filme e compartilho com os leitores de Letras in.verso e re.verso





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Os conselhos de Wislawa Szymborska aos aspirantes a escritores

Torquato Neto, exercício de liberdade

Eu sei que nunca se dirá tudo o que a poesia é

Emily Dickinson, por Ana Cristina Cesar

Tirza, de Arnon Grunberg

Philip Roth, agora mesmo começam outros círculos

Cinco razões (talvez algumas mais) para desfrutar do “Ulysses”, de James Joyce

O macaco e a essência, de Aldous Huxley

Boletim Letras 360º #268