Preencha o formulário para participar da promoção. Se você não chegou aqui pelo Facebook, não deixe de findar sua inscrição cumprindo o restante do regulamento desta promoção.

Revista Trevo ou a sorte de termos mais um espaço on-line sobre Literatura




Sempre sou entusiasta de propostas que tenham como escopo as artes, sobretudo, a literatura. Não é novidade isso. Foi assim quando soube da criação da Cruviana, depois da criação da Macondo. E, não seria diferente com a ideia que tive conhecimento recentemente: a da Revista Trevo. Em contato com a equipe organizadora, recebi um press release sobre a ideia e o andamento da montagem do novo meio.

A ideia é conjunta dos jornalistas Thiago Kaczuroski e André Toso, e do designer Lex Designo. A revista será um periódico digital especializada em textos de ficção com versões para computador, tablet, kindle e outros meios. Trata-se de um periódico independente, sem quaisquer vínculos comerciais funcionando no mesmo esquema que o caderno-revista 7faces, por exemplo, ideia da qual sou editor: "a revistta precisa de textos legais para se manter viva, e é uma forma de divulgar o trabalho de novos autores. Eles podem distribuir a revista como quiserem" - explica a nota encaminhada pelos editores. Terá uma tiragem bimestral.

A equipe já está fechando o projeto gráfico da revista que terá a cada edição um ilustrador convidado. Para a primeira edição prevêm a publicação de 6 a 8 textos, média que poderá se manter nas edições subsequentes. Por enquanto, está sendo mantida uma fan page no Facebook, onde os leitores poderão ter acesso ao andamento da ideia.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

11 Livros que são quase pornografia

Os muitos Eliot

Além de Haruki Murakami. Onze romances da literatura japonesa que você precisa conhecer

Uma entrevista raríssima com Cora Coralina

Boletim Letras 360º #308

As melhores leituras de 2018 na opinião dos leitores do Letras

Boletim Letras 360º #309

Os melhores de 2018: prosa

O excesso que vive: Mac e seu contratempo, de Enrique Vila-Matas